Rua Dr. Romualdo, 342 - São Mateus | Juiz de Fora, MG

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Spotify

MENÇÃO HONROSA CONCURSO INTERNACIONAL OUTROS TERRITÓRIOS

 

Projeto realizado em parceria com

Daniel Dorneles

TRAMA

A Trama, como definição de conjunto de fios entrelaçados, é a ramificação do problema coloca - do pelo concurso: a palafita. Colocamos aqui uma investigação, como um meio de crítica aos espaços de resquício gera - dos na cidade. Questionamos: se multiplicarmos esses espaços, no que a cidade resultaria? Caos, loucura, bagunça? Certo que sim. Mas como essa possibilidade nos força a repensar os espaços? Com um pensamento distópico, a Trama multiplica a Palafita dos Cachorros. Essa multiplicação se torna um conjunto que por fim é inserido na palafita original. O caos, a loucura e a bagunça permanecem, porém de uma forma leve e divertida. Talvez possamos descobrir que se movimentar em direção ao outro e da busca inquietante pelo algo mais é o que pode trazer esperança... um meio conturbado para um fim libertador.

Estudando um pouco a cidade no passado, vemos que o brincar no urbano era algo mais comum, a rua, que hoje representa o corre corre dos carros e dos dias atuais já foi um espaço do pique pega, da amarelinha e das mais diversas brincadeiras; as ruas eram um grande labirinto, onde as crianças não tinham medo de se perder e a cada dia iam descobrindo um pouco mais do seu meio. Essa intervenção nasce como uma ideia de resistência aos dias atuais, onde as ruas não mais são usadas pelas crianças e como a experiencia labiríntica vem se perdendo com o surgimento dos aparatos tecnológicos; o se perder e o descobrir não mais existe.

A Trama nos mostra que o brincar no urbano ainda pode ser algo viável. Porque não utilizar desses espaços vagos, sem utilização, para a criação de tramas que permitam uma experiencia de cidade que era encontrada no passado? Onde era permitido se perder.

A intervenção funciona como um trepa-trepa gigante, onde sua função mais básica é permitir que seus usuários se sintam livres para utilizá-la das formas mais variadas. Além disso são distribuídos diversos equipamentos em seu interior, sendo eles: bancos (criado com as passarelas dos andaimes) e hiatos; dispostos a assumir funções variadas dependendo apenas dos usuários.

Publicações:

Archdaily Brasil

Local:

Juiz de Fora - MG

Ano:

2019